Dessa vez o UNIVAR traz a acadêmica Edmara Miranda da série de depoimentos da família UNIVAR e egressos. Em que o UNIVAR conseguiu transformar sua vida?

 

– Eu nunca estive assim muito focada, diretamente interessada em fazer um curso superior, tanto que acabei ingressando na formação superior aos 24 anos. Com a chegada de meu filho, acendeu em mim a vontade de construir uma carreira, de deixar para ele um legado. Vim com minha mãe conhecer o UNIVAR e ingressando as duas, eu em Nutrição; apaixonei-me de cara pelo curso,  minha mãe ingressou em fisioterapia. Passei a contar com um incentivo de crédito estudantil que foi decisivo para conseguir estudar. Eu me sinto muito à vontade aqui no UNIVAR, com os professores, com todos por aqui. No meu último ano, o mais difícil no meu ponto de vista,  no momento dos estágios e do TCC, há coisa de mais ou menos uns dois meses, assisti  um vídeo de uma professora, onde  ela explicava os 10 passos de como identificar a criança com autismo.  Percebi no meu filho  aqueles traços, procurei um especialista e obtive a confirmação do diagnóstico do autismo. Deus me preparou, minha trajetória acadêmica me preparou,  encontrei forças para receber essa notícia. O UNIVAR transformou minha vida, como estudante, como pessoa e  como profissional.  Trabalho como autônoma para conciliar todas as tarefas do dia a dia e os cuidados com meu filho. Quando descobri o autismo do meu filho pensei em desistir do curso, mas a família UNIVAR  me apoiou muito e consegui dar continuidade.

Qual sua mensagem às mães no dia delas?

Ame seus filhos, não importa o que aconteça, porque eles são o motor da vida dentro de nós, quero ser uma pessoa melhor em função, principalmente, do meu filho.