No dia 12 de setembro, em uma parceria entre os cursos de Farmácia, Estética e Cosmética, Agronomia e Psicologia da UNIVAR, juntamente com o Núcleo de Políticas Sociais foram realizadas atividades para recepcionarem aproximadamente 40 idosos atendidos por projetos do Centro de Referências de Assistência Social (CRAS) do setor Nova Barra.

O intuito foi que os visitantes conhecessem a horta feita nas dependências da Univar e participassem de palestras, sobre a importância do uso de proteção contra os raios solares e aspectos gerais das plantas medicinais.

O senhor João Ferreira Lima, que frequenta os encontros realizados pelo CRAS, falou da importância em o idoso participar mais ativamente de ações ofertadas pela sociedade. Segundo ele, visitas como essa auxiliam na saúde mental do idoso e garantem que, doenças como a depressão sejam evitadas.

Segundo um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), o psiquiatra Ricardo Barcelos Ferreira avaliou a prevalência da depressão em idosos e constatou que, mais de 20% dos adultos acima de 60 anos sofrem de transtornos mentais ou neurológicos. Demência e depressão são os problemas mais comuns.

O fato de o corpo não ter mais a agilidade da juventude, os esquecimentos e o cansaço mental são os principais causadores da depressão na terceira idade. Esses fatores, assim como o senhor João destacou, podem ser evitados pela ocupação de atividades prazerosas, principalmente àquelas que são realizadas em grupo.

” Eu rejuvenesci muitos anos depois dessa visita”. Revelou o senhor Adair Pereira da Silva, reforçando a importância de estar sempre em busca de novos conhecimentos. Acompanhado pela esposa, ambos puderam levar para casa hortaliças produzidas pelos alunos do curso de Agronomia.

Já a senhora Maria Aparecida da Silva, destacou que o conhecimento adquirido durante as palestras proferidas pelos cursos, traz conhecimentos além da sabedoria popular.

Um levantamento realizado pelo IBGE em 2017 revela que nos últimos cinco anos o número de idosos cresceu em 18% e ultrapassa 30 milhões. Isso leva a constatação da necessidade que se tem dos acadêmicos trabalharem durante a graduação com este público. A importância do convívio com pessoas acima de 60 anos, se faz para a formação de profissionais completos e acima de tudo, cidadãos conscientes com o seu papel social.