O curso de Fisioterapia do Univar está cada vez mais atuante na sociedade barra-garcense. Ao longo deste ano de 2019 foram mais de 20 ações promovidas pelo curso em parceria com diversos orgãos municipais e privados. Um exemplo claro disso são as atividades promovidas no Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE). Essas ações, assim como outras que ocorreram no Parque das Águas Quentes têm demonstrado a preocupação não somente do curso em relação à comunidade, mas também do Centro Universitário do Vale do Araguaia (Univar) em promover a cidadania e saúde para a nossa população.

No mês de junho os discentes da fisioterapia promoveram o projeto “Atividades Recreativas na areia para fins prospectivos em crianças do CAEE”. Assim, 11 alunos tiveram a iniciativa de criar uma caixa de areia com o objetivo de melhorar a função da marcha nos pacientes, uma vez que eles possuem alteração no padrão de locomoção.

Segundo o estagiário Pablo Ricardo essas práticas enriquecem muito a formação. “Foi muito gratificante ver o resultado que alcançamos e o aprendizado que adquirimos tanto teórico quanto pratico no tratamento de síndromes e patologias neurológicas nas crianças do CAEE”, salientou.

O acompanhamento que os estagiários do 10º semestre realizam é também uma forma mais humanizada e sensitiva de alcançar o universo dessas crianças, que muitas vezes na sociedade tem limitações quanto a mobilidade e o relacionamento interpessoal.

Quanto a essas questões, a discente Gizele Rossato reverbera, “acima de tudo o [re] conhecimento do ser humano em sua essência, o amor e a cumplicidade que se desenvolve entre paciente e profissional, é um fator importante para um bom avanço no tratamento”.

A fisioterapia do Univar tem buscado não somente atender, mas otimizar o cuidado desenvolvendo técnicas de apoio as crianças com síndromes do CAEE melhorando a qualidade de vida. Para a professora e supervisora de estágio Daniela Barbosa ver o empenho dos alunos é excepcional porque não mediram esforços para concluir o projeto.

“Embora os alunos troquem de campo de estágio os próximos discentes irão dar continuidade a esse projeto” reverbera Barbosa.

Vale lembrar que a Fisioterapia atua juntamente a comunidade desde os primeiros semestres do curso, auxiliando nas orientações gerais de saúde e posteriormente adentrando os espaços públicos e privados na promoção de cuidados, tratamentos e diagnóstico das ciências da saúde.