A pesquisa, a ciência em si está inserida no cotidiano das pessoas e se apresenta tão necessária para o desenvolvimento profissional, social que caminha junto a vida consueta, tornando-se um bem incalculável, como uma alavanca para a evolução e crescimento social.

Se tem um espaço onde a ciência se faz ainda mais corriqueira, esse ambiente é o acadêmico universitário que combina maturidade científica, criatividade, persistência, conhecimento e fome por descobertas. Deste modo, os pesquisadores vão progressivamente “resolvendo” problemas, que em comum, objetivam melhorar a qualidade de vida social.

 A primeira edição da Mostra Científica Interdisciplinar do Centro Universitário do Vale do Araguaia, promovida e organizada pela Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, por meio da Comissão Científica responsável pela área de conhecimento de Ciências Humanas e Sociais representada pelas docentes: Me. Dandara Amorim e Dra. Tatiana Melo objetivou apresentar à comunidade as pesquisas realizadas no âmbito  institucional. Diversos trabalhos científicos foram elaborados, expostos e apresentados no intuito de disseminá-los, mas principalmente de fomentar, despertar no acadêmico a vocação científica de pesquisador.

Os resumos simples, os resumos expandidos e os artigos científicos passaram por dois momentos de avaliação: uma composta por avaliadores virtuais constituído de  pesquisadores com experiência científica na área temática do trabalho submetido e o segundo momento foi da avaliação presencial onde os autores apresentaram seus trabalhos para outra banca de avaliadores presenciais.

Considerando a área de conhecimento das Ciências Humanas e Sociais os trabalhos que atenderam todas as regras dispostas em edital, tiveram maior destaque e obtiveram as três primeiras colocações no evento representaram respectivamente acadêmicos e docentes orientadores dos cursos de Pedagogia, Psicologia e Direito.

Luciano (segurando menção honrosa) acompanhado dos pró-reitores.

Com grande preocupação social o acadêmico Luciano Carvalho da Silva do quarto ano do curso de Pedagogia, sob orientação da docente Deniza Luiza Adorno apresentou um trabalho de modalidade artigo científico, cujo título foi “A eficiência no atendimento educacional especializado na rede de ensino pública da cidade de Barra do Garças do estado de Mato Grosso”. Com o método de coleta de dados por meio de entrevistas, o discente constatou diversos fatores que implicam com a eficiência dos atendimentos realizados no intuito de encontrar medidas que visam solucioná-los.

O que muitos desconhecem é que todo aluno no Brasil, desde a educação infantil até a educação superior, tem direito ao Atendimento Educacional Especializado de acordo com as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Esse atendimento deve ocorrer no contraturno escolar e irá beneficiar tanto o aluno quanto o professor da sala de aula comum. Neste sentido a grande relevância desse trabalho, informar a população acerca da educação especial.

Já Kátia Núbia de Souza acadêmica do quinto ano do curso de Psicologia, após ser acometida por câncer resolveu auxiliar outros pacientes oncológicos e desenvolveu um trabalho com o título “O suporte emocional como instrumento importante para a cura e remissão de pacientes oncológicos na região do Médio Araguaia”.

Kátia ao centro juntamente com os pró-reitores e sua orientadora.

Kátia, foi orientada pela professora Ana Paula da Costa Fernandes e juntas realizaram vários levantamentos bibliográficos em busca de autores que tratam da cura psicossomática, uma ciência interdisciplinar que gera diversas especialidades da medicina e da psicologia, para estudar os efeitos de fatores sociais e psicológicos sobre processos orgânicos do corpo e sobre o bem-estar das pessoas.

O terceiro melhor trabalho abordou sobre A responsabilidade civil decorrente do dano estético, o acadêmico Warlans Wagner Xavier Souza sob orientação do docente Douglas Santos Mezacasa, explicou-nos que ao realizar seu trabalho fez um compilado de bibliografias que tratam do assunto. O jovem pesquisador exemplificou casos de dano estético e a responsabilidade cívica que isso acarreta.

Segundo Xavier, em um tratamento estético, o profissional esteta, médico ou afins tem responsabilidade civil em caso de danos. A integridade física é um direito da personalidade.

Warlans acompanhado dos pró-reitores e a coordenadora do curso de Direito.

Logo, é natural que haja um tratamento diferenciado quando estamos diante de uma violação a este direito. O dano no tratamento estético está compreendido no dano ao corpo.

Estou muito feliz com este resultado porque os três trabalhos citados acima, foram condecorados pela excelência na escolha da temática, produção e apresentação no âmbito de Ciências Humanas e Sociais, principalmente pelo destaque e participação do curso mais jovem da instituição que é o curso de Direito. Estes fatos revigoram a pesquisa científica no UNIVAR e ocasionam melhoria social no ambiente em que vivem por meio da ciência, ressalta Stephania Poleto, Pró-Reitora de Pesquisa do UNIVAR.

Nesse contexto, a Instituição entende a importância da pesquisa científica na formação do seu estudante e é uma grande incentivadora para que estes comecem desde cedo suas pesquisas.