O Dr. Carlos Leandro Rodrigues dos Santos é Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ (2007), Mestre em Agronomia – Ciência do Solo pela UFRRJ (2010), Doutor em Agronomia – Ciência do Solo pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2013) e atualmente é docente e pesquisador em Ciência do Solo no Centro Universitário do Vale do Araguaia, onde atua desde 2017. Coordena dois projetos de pesquisa junto aos acadêmicos do UNIVAR contribuindo para o progresso das terras da região do Araguaia por meio das atividades de ensino prático, extensão e pesquisa.

Experimento com capim braquiária no UNIVAR em 2019.

Santos possui três Pós-Doutorados. No primeiro (2014 – 2015), realizado na Universidade Federal do Paraná, desenvolveu pesquisas na área de Biofortificação Agronômica do Trigo. O segundo e o terceiro Pós-doutorados foram desenvolvidos na Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, em Cuiabá-MT, entre 2015 e 2019, aonde deu sequência aos estudos com Biofortificação Agronômica, mas no arroz, e, integrou uma equipe para estudar características químicas, físicas e biológicas dos principais solos de Mato Grosso, visando aperfeiçoar etapas do processo de correção destes solos para cultivos.

Suas principais linhas de pesquisa de atuação profissional são: Nutrição de Plantas e Fertilidade do Solo. Recentemente, em parceria com a Embrapa Agrobiologia, publicou um artigo no periódico internacional Applied Soil Ecology (Qualis Capes A2) denominado “Contribution of a mixed inoculant containing strains of Burkholderia spp. and Herbaspirillum ssp. to the growth of three sorghum genotypes under increased nitrogen fertilization levels”, onde demonstra por meio de resultados consistentes os benefícios da prática da inoculação de sementes no efeito promotor de crescimento realizado por bactérias fixadoras de nitrogênio.

Santos esclarece que essa publicação é resultado de seu estudo de mestrado finalizado em 2010, constituído de etapas realizadas em laboratório, casa de vegetação e campo, com a cultura do sorgo, uma gramínea da família do milho. O sorgo, embora aqui no Brasil não seja consumido em seu modo primário, como em países do continente Africano, por exemplo, apresenta importância como componente de rações, ou seja, é consumido indiretamente. Como no Brasil é uma cultura considerada secundária, pouco ou nenhum fertilizante nitrogênio é aplicado, assim, a inoculação de bactérias diazotróficas pode ajudar na fixação biológica de nitrogênio e no aumento da eficiência no uso de nutrientes pelas plantas.

Carlos explica que o processo de construção do conhecimento científico, por vezes, é bastante laborioso e deve ser realizado com muito critério, exigindo tempo e dedicação dos envolvidos. Além disso, o Engenheiro Agrônomo salienta o quanto esse tipo de pesquisa tem potencial para impactar diretamente o dia a dia do produtor, uma vez que podem contribuir para a geração de tecnologias, que tornem o processo produtivo mais rentável e sustentável, e ainda comenta sobre importância de se estreitar relações da Pesquisa com a Extensão rural.

“Normalmente, a linguagem científica desse tipo de artigo é um pouco complexa, assim, muitas pessoas não familiarizadas com certos termos técnicos, etc., podem não compreender, de imediato, seu significado prático. Daí a importância de um técnico com suficiente conhecimento em pesquisa atuante na Extensão Rural, por exemplo, ajudar a desmistificar os novos conhecimentos publicados em revistas internacionais. Na docência do ensino superior, temos a oportunidade de explicar aos acadêmicos as etapas das pesquisas, desde a definição do tema até a divulgação dos resultados obtidos, e principalmente a aplicação prática na vida profissional do Agrônomo e do produtor rural.”

Professor Carlos Leandro com a responsável técnica do laboratório de solos e acadêmico.

Pesquisas recentes do docente estão sendo realizadas com os discentes do curso de Agronomia do UNIVAR, buscando publicações de alta qualidade e principalmente incentivar o acadêmico a galgar outra oportunidade dentro de sua carreira profissional na qualidade de pesquisador.