Quando abordada, a saúde masculina, surgem alguns preconceitos. A vergonha e barreiras culturais ainda mantêm os homens longe dos consultórios médicos.

Segundo o Ministério da Saúde, em 2015, foram realizadas 5,9 milhões de internações no Sistema Único de Saúde (SUS) na faixa de 20 a 59 anos no Brasil. Excluindo as internações por gravidez, parto e puerpério, o sexo masculino tem maior número de internações (51%). A maior proporção de internações entre os homens, ocorreu na faixa etária de 50 a 59 anos.  Casos esses que, na maioria das vezes, já estão em estado grave, devido ao diagnóstico tardio.

Pensando nisso, o curso de enfermagem tem realizado um trabalho de orientação denominado Educação e Saúde. Realizado no batalhão da polícia militar da cidade de Barra do Garças pela supervisora Dana Vilela e os acadêmicos de André Luis, Aldenora, Maísa, Gleiziane, Fernando. Durante a palestra foram tratados temas como câncer de mama masculino, diabetes mellitus tipo 2 e hipertensão arterial.

Conscientizar a população masculina sobre a importância de exames preventivos no combate a problemas de saúde que atingem os homens é de extrema importância, garante a qualidade de vida e o diagnóstico precoce tem maior probabilidade de cura.