WhatsApp Image 2022-09-21 at 17.56.39 (1)

Por: Michele Faifer

Os acadêmicos de medicina veterinária do Grupo de Estudos de Animais de Produção (GEAP) realizaram uma visita técnica dia 16/09, no Parque de Exposições Agropecuárias Eliziário José de Farias, em Barra do Garças.

Estavam presentes durante a visita técnica os membros dos GEAP, a profa. e coordenadora do curso Renata Santos, o médico veterinário responsável pelo Leilão da Expoleste e diretor do Sindicato Rural de Barra do Garças Jefferson Moura, e o médico veterinário do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado do Mato Grosso (INDEA) Leonardo Mascarenhas.

O objetivo da visita ao Parque de Exposições foi conhecer e verificar as condições de vida e instalações dos animais participantes do rodeio da 37ª Expoleste, que ocorreu do dia 14 a 17 de setembro.

“A visita realizada com os acadêmicos é importante para conhecer de perto o que é visto na TV e nos livros, verificar o quanto esses animais são bem tratados, e fazer com que os acadêmicos interessem por esse assunto e divulguem também a sociedade sobre a verdadeira realidade dos animais de rodeio”, explicou a Profa. Renata Santos.

Durante a visitação o médico veterinário Jefferson Moura levou os membros do GEAP para conhecer os currais onde os animais do rodeio ficam durante as provas. Jefferson explicou sobre os cuidados em relação a água, alimentação, transporte e sombreamento, além de outros aspectos relacionado ao bem-estar dos animais atletas.

O médico veterinário Leonardo Mascarenhas, falou sobre os cuidados com as documentações em relação a exposição de animais, leilão e rodeio. O responsável pela empresa Arena Dreams realizadora do rodeio, Diogo, enfatizou sobre a importância do médico veterinário no melhoramento genético para animais de esporte, reforçando a importância de pesquisas na área.

O membro do GEAP, Mateus Baltazar enfatizou sobre a visita técnica: “uma das áreas de atuação do médico veterinário é o controle de bem-estar animal, o GEAP teve a oportunidade de ter uma aula no parque de exposições, e conhecer um pouco da rotina e do controle, para que os animais sejam tratados com dignidade. A maioria dos animais ficavam em um pasto separado com sombra, água fresca e comida a vontade, verdadeiros reis. A outra parte com animais que eram bravos e apresentavam risco ao público, eram mantidos sobe confinamento no curral e com as mesmas condições dos criados no pasto”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.